domingo, 24 de maio de 2020

Adivinha? Adivinha?


         Vamos brincar? Mergulha nesta atividade!

      Para te divertires e conheceres as adivinhas que fazem parte do nosso património,  clica em [adivinhas] ou aponta o teu telemóvel para este QR CODE.                                                                                                 
           Se tiveres dúvidas, pergunta aos mais velhos.

sábado, 23 de maio de 2020

Eu, confinada (III): Da Rua ao Confinamento

     Com a propagação deste novo coronavírus, a população mundial tem vivido uma crise em vários setores, desde o pessoal ao económico, de pessoas confinadas em casa e empresas a terem quebras financeiras. Foi assim que,no prazo de mais ou menos quatro meses, a população mundial sofreu uma "reviravolta", graças a esta pandemia.
     Pessoas como eu deixaram de poder sair de casa e ter uma vida normal, como tinham até à data. Já não posso fazer algo tão simples como passear num jardim, pois sou obrigada a permanecer em confinamento dentro das quatro paredes da minha casa. Então todos nós fomos obrigados a ter ideias novas sobre o que fazer durante este tempo em casa, para nos mantermos ocupados e não sofrermos problemas psicológicos. Eu, por exemplo, dedicou-me a estudar como nunca antes tinha feito, pois agora tenho mais tempo para o fazer; aumento a minha cultura cinematográfica, vendo novos filmes e revendo outros antigos; crio novas rotinas, como a de tirar mais tempo para estar com a família, ou a de me exercitar para combater o sedentarismo, ou ainda a de ler uma hora antes de dormir.
     Quando optei por criar estas novas rotinas, já estava em confinamento há mais de duas semanas e senti que estava a perder a motivação para fazer qualquer coisa. Então, obriguei-me a mudar e a tentar manter-me ocupada. Não foi muito fácil no início, pois o meu psicológico já estava meio afetado devido ao confinamento. Creio que cheguei ao ponto de saber o número exato de saliências numa parede. Mas agora tudo mudou; já me sinto bem melhor psicologicamente, apesar de estar desejosa que tudo isto acaba, para poder voltar à minha rotina normal.
     Sei bem que vou levar partes desta minha rotina de confinamento para aquela que chamo minha rotina normal, como conviver mais com a família e ler todos os dias antes de dormir, entre outras.
     Em suma, creio que, por mais desagradável que tenha sido este confinamento, também teve os seus pontos fortes, que me fizeram conhecer-me melhor e ao que me rodeia.

Laura Pereira, 12.º AB

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Dia do Autor Português 22 de Maio


DESAFIOAdivinha quem sou?



Este é o dia em que se presta homenagem aos autores portugueses das diversas áreas da criação artística – literatura, pintura, escultura, dança, teatro, arquitetura.




           Acede a este link [desafio nível 1] ou ao QR CODE





                 

                 

            Acede a este link [Desafio nível 2] ou ao QR CODE




Experimenta, diverte-te e aprende!

sábado, 16 de maio de 2020

Eu, confinada (II)

     Este confinamento não tem sido de todo fácil. Quando, nas aulas de História, falávamos na Peste Negra, nunca me passou pela cabeça passar por uma pandemia aos meus 17 anos e ter de abdicar de coisas que faziam parte da rotina, como não poder visitar os meus avós, que é o que me tem deixado mais triste.
     Além disso, este não foi o 12.º ano que idealizei para mim. Sonhava com o meu baile de finalistas, que significava o fim de uma etapa e o começo de algo novo, algo que a maioria dos jovens anseia: a entrada na universidade.
     Sinto-me desanimada, triste e a morrer de ansiedade, com saudades da rotina que tinha acerca de dois meses, dos meus amigos e daquelas conversas num sábado à noite, que nunca mais acabavam. No início, as aulas "on-line" não foram de todo fáceis, pois foi estranho não ver os meus colegas e os professores, mas neste momento as coisas correm melhor e começo a habituar-me um pouco mais.
     Os exames nacionais também estão aí à porta e chega aquela ansiedade de me aperceber que o meu futuro vai tomar um novo rumo, esperando eu que seja da forma que quero, por isso a maior parte do meu tempo tem sido passado a estudar, mas também a ver séries, jogar jogos tradicionais com a minha família e aproveitar para praticar exercício físico.
     Porém, sinto que nem tudo é mau. Eu e a minha família estamos cada vez mais unidos e apoiamos-nos mutuamente. Damos, principalmente, apoio à minha mãe, que passa mais tempo fora de casa a cuidar de outras pessoas que precisam, devido à profissão que exerce.
     Vejo este confinamento como algo para darmos mais valor às coisas que temos, mesmo àquelas que me pareciam tão simples.

Rafaela Ferreira, 12.º AB

quinta-feira, 14 de maio de 2020

quinta-feira, 7 de maio de 2020

Provérbios

Provérbios



             Diverte-te a resolver este desafio, clicando  na ligação Provérbios ou apontando o teu telemóvel para o QR CODE.

Figura mistério de maio

Figura Mistério de Maio

Quem sou eu?


              Para responderes a essa pergunta, clica ne ligação [Figura Mistério]  ou dirige o teu telemóvel para o Qrcode.
                                                                

terça-feira, 5 de maio de 2020

Os Maias II

Os Maias I

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Eu, confinada (I)

     Eu penso que, se alguém dissesse há uns meses que iríamos estar em constante medo pela nossa saúde e sem poder sair de casa, diriam que essa pessoa estava maluca. A verdade é que estamos a viver uma situação inédita: uma guerra fria, chamada COVID-19.
     Muitas especulações vêm deste assunto. Será que foi mesmo uma pessoa a comer um morcego naqueles mercados "esquisitos" da China? E se já o comeu há tanto tempo, porquê agora? Ou será uma tentativa da China para derrubar todos os seus grandes concorrentes, tornado-se o país com a melhor economia do Mundo, que agora vai "salvar" todas as outras? De uma maneira ou de outra, mudou a vida de toda a gente, talvez para sempre. A minha, pelo menos, mudou e muito. Tenho a certeza de que muita gente estava a contar que 2020 fosse um ano memorável, seja pelo seu último ano no liceu e baile de finalistas, seja pelo último ano da universidade antes de entrar no mundo real, um lançamento que iria mudar a sua vida, enfim, uma série de acontecimentos que estávamos ansiosos para viver, e ,de repente, tudo isso não passa de um sonho. Coisas que dávamos como garantidas - como conviver com os nossos amigos numa esplanada de um café, almoços de família, festivais - não se vão poder realizar por um período indefinido. E, subitamente, toda a gente tem de ficar em casa, porque há um vírus, sem cura, que ameaça a nossa espécie.
     Deste modo, começamos a pensar que não somos assim tão invencíveis e poderosos quanto pensávamos. Há uma coisa muito mais poderosa, chamada Natureza. Se não tivéssemos a inteligências e a tecnologia que temos atualmente, era com este tipo de doenças que a nossa espécie era extinta, ficando o planeta Terra "curado" do mal que lhe estamos a fazer constantemente. A verdade é que, só com um terço da população em quarentena, se veem mudanças bastante significativas: já se consegue ver o fundo do rio em Veneza, a poluição atmosférica baixou bastante nos grandes países, os moradores do norte da Índia puderam ver parte dos Himalaias pela primeira vez, o que já não acontecia desde a Segunda Guerra Mundial. Esta é uma parte positiva, embora, se não mudarmos a nossa forma de viver, tudo voltará ao normal.
     Por outro lado, este vírus afetou severamente a economia: muitas pessoas ficaram desempregadas e muitas empresas têm de se reinventar. As pessoas tornaram-se mais unidas e mais solidárias e começaram a aprender a abrandar o ritmo da sua vida. Ficando em casa, comecei a adotar novos hobbys, a conviver e criar memórias com os meus pais e a minha irmã e, no fundo, a dedicar mais tempo a conhecer-me realmente, marcando os meus objetivos de vida e organizando-a.
     Não é fácil não perder a esperança e a paciência, mas temos de ser mais fortes que isso. Também não é fácil o estudo à distância, uma coisa que nunca antes tinha acontecido, e agora temos de nos adaptar a ele, criando novas estratégias.
     Temos de lidar com esta pandemia de uma forma positiva. Sim, temos de ficar em casa, mas façam tudo aquilo que antes não tinham tempo para fazer. Inventem-se. Descubram-se. Dediquem-se. Adaptem-se. Estudem. E lembrem-se que não é uma luta individual, estamos todos no mesmo barco e cada um tem de fazer a sua parte e, quando sair a vacina, seremos uma sociedade melhor, mais culta e mais solidária, dando valor ao que é mais importante: a vida.

Ana Marta Teixeira, 12.º A/B

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Modo imperativo

     Os verbos portugueses distribuem-se pelos chamados modos.

     Os modos verbais do português de Portugal são o indicativo, o conjuntivo, o imperativo e o condicional, sendo que há gramáticos que incluem também o infinitivo neste grupo.

     Os exercícios que te são apresentados aqui referem-se ao modo imperativo. Para os realizares, basta clicares na ligação [modo-imperativo].

quinta-feira, 23 de abril de 2020

A Fórmula de Deus está disponível gratuitamente

     A obra A Fórmula de Deus,(edição Gradiva), aquele que foi o quarto romance do jornalista e escritor José Rodrigues dos santos, pode, agora, ser lido gratuitamente na sua versão e-book (através das aplicações Wook Reader, Kindle ou Kobo).

     Esta oferta vigorará enquanto durar o Estado de Emergência decretado pelo Governo, motivado pela pandemia COVID-19.

     A obra poderá ser lida aqui: [a-fórmula-de-deus].

Dia Mundial do Livro

     Comemora-se hoje o Dia Mundial do Livro.

     A data foi instituída pela UNESCO em novembro de 1995 e tem como objetivo fomentar o gosto pela leitura e, em simultâneo, respeitar os direitos de autor.

     Por que razão se escolheu o dia 23 de abril para esta iniciativa? Um bom motivo reside no facto de, nesta data, ter nascido e morrido William Shakespeare e falecido Miguel de Cervantes.

     Porém, já antes a região espanhola da Catalunha tinha instituído um Dia Internacional do Livro, festejado a 5 de abril, com a particularidade de se oferecerem livros e rosas aos amigos.

     Para assinalar a data, deixamos aqui algumas sugestões de audiolivros:

Pré-escolar:
     Afinal o Caracol [audiolivro]
          

1.º ciclo:
     Se eu fosse um livro [audiolivro]
          

3.º ciclo:
     A mulher comilona [audiolivro]

terça-feira, 21 de abril de 2020

Desigualdade triangular

     A desigualdade triangular refere-se ao teorema que afirma que, num triângulo, o comprimento de um dos lados é sempre inferior à soma dos comprimentos dos outros dois lados.

     Clica na ligação [desigualdade triangular] ou socorre-te do QR CODE.



segunda-feira, 20 de abril de 2020

Viagens na Minha Terra



     Resolve os exercícios apresentados clicando no botão «Start Quiz" ou socorrendo-te da ligação: exercícios.

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Perímetro do círculo

     O que é o perímetro do círculo?

     Como se calcula?

     Treina este conteúdo programático, clicando na ligação: perímetro do círculo.

Mito de Orfeu


      Exercício de verificação sobre o mito de Orfeu: exercício.

quinta-feira, 16 de abril de 2020

Viagens na Minha Terra : questionário global


     Resolve o questionário proposto sobre a obra Viagens na Minha Terra.


     Para tal, clica na ligação: questionário.

"São Leonardo de Galafura": questionário


     Depois de teres lido o célebre poema de Miguel Torga, resolve o questionário que te é proposto.

     Para lhe acederes, basta clicar na ligação seguinte: questionário.