terça-feira, 30 de dezembro de 2014

'Tita, a Coelhinha Diferente'


     No dia 3 de dezembro, os alunos do ensino pré-escolar deslocaram-se à BE da EB2 para ouvirem a história Tita, a Coelhinha Diferente.
     Tendo por objetivos a promoção de hábitos de leitura, o desenvolvimento da expressão oral e plástica e a educação para a cidadania - dado que, nesta data, se rememorava o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência e o texto se adequa à sensibilização dos adultos para a premência da inclusão das pessoas com deficiência na sociedade -, a sessão teve início com a audição do texto, seguida do seu reconto oral e da realização de diversas atividades de caráter lúdico-didático.

'Tita, a Coelhinha Diferente'




Ficha de leitura do conto 'João Pateta'

Ficha de leitura do conto João Pateta


1 - A personagem principal deste conto é ___________________.

2 - Sublinha os adjetivos que, na tua opinião, não se aplicam ao João.
esperto     obediente      vaidoso     humilde      tonto     malvado

3 - Ordena as afirmações que se seguem, numerando-as de 1 a 6, de acordo com a sequência dos acontecimentos.


4 - Houve duas situações em que os compradores se aproveitaram da pouca esperteza do João para o prejudicar.

     4.1. Escolhe uma delas e conta resumidamente o que se passou.
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5 - Copia o parágrafo do texto que nos diz que a mãe do João mesmo com medo continuou a mandá-lo fazer recados.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

6 - Qual foi o aviso que a mãe lhe fez quando o mandou fazer o quarto recado?
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

7 - Concordas com o título dado a este conto? Justifica a tua resposta.
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

     7.1 - Se te pedissem para escolheres outro título para o conto, que título escolherias?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

8 - Classifica as afirmações seguintes em verdadeiras (V) ou falsas (F).
       

9 - Concordas com o final do conto? Se fosses tu qual era o final que lhe darias?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fonte: Junqueiro, Guerra, Seleção de contos para a infância, col. Educação Literária, Porto Editora.


10 - Observa agora a seguinte tabela.


     10.1 - Como podes observar nesta tabela, a cada letra do alfabeto está associado um símbolo. Com base na tabela adivinha o que tens de escrever em cada uma das vinhetas da banda desenhada que se segue. Ilustra-as de acordo com o texto que escreveste.

     

'João Pateta'


     Ao longo do mês de dezembro e no âmbito do Projeto «Ler para Crescer», o conto "João Pateta", de Guerra Junqueiro, que faz parte das leituras recomendadas nas metas curriculares de Português, foi trabalhado com os alunos do 3.º ano da EB1 de FCR.
     A atividade iniciou-se com uma breve apresentação biográfica do autor, natural de Freixo de Espada à Cinta, seguida da exploração semântica da capa da obra de onde foi extraído o texto.
     Após a leitura do conto, o mesmo foi recontado e explorado através de diálogo com os alunos. Posteriormente, responderam a um pequeno questionário e revelaram os seus dotes artísticos, elaborando bandas desenhadas, após a decifração da mensagem simbólica inscrita previamente em cada vinheta.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Estranhões e Bizarrocos do 2.º ano

'Estranhões e Bizarrocos'


     Na sequência do projeto «Ler para Crescer» e indo ao encontro dos títulos inscritos nas metas curriculares de Português, no capítulo Educação Literária, a equipa da BE leu, conjuntamente com os alunos do 2.º ano da EB1 de FCR, a história Estranhões e Bizarrocos.
     A sessão teve início com uma breve apresentação do autor, José Eduardo Agualusa, seguida de uma breve exploração da capa da obra.
     Seguiu-se a leitura do texto, projetado através de power point, e posteriormente o seu reconto e interpretação.
     A finalizar a sessão, foi solicitado aos alunos que resolvessem uma ficha de trabalho e proposto que recontassem a história aos pais, bem como que, em conjunto, criassem os seus próprios Estranhões e Bizarrocos, os quais foram depois expostos no espaço da BE.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

'A Ovelhinha Preta' ilustrada

A Ovelhinha Preta


     No âmbito do Projeto "Ler para Crescer", foi lido o livro A Ovelhinha Preta, de Elisabete Shaw, aos alunos do primeiro ano da EB1 de Figueira de Castelo Rodrigo, da EB1 da Vermiosa, Reigada e Escalhão, pré-escolar da Reigada e Vermiosa.
     A iniciativa teve como objetivos centrais a promoção de hábitos de leitura, o despertar da criatividade, o desenvolvimento da expressão oral e escrita e do espírito crítico, a aprendizagem do respeito pelas diferentes opiniões e ainda a educação para a cidadania.
     Inicialmente, foram explorados os paratextos, nomeadamente a capa e a contracapa. Depois foi lido o texto da obra através da projeção de um PowerPoint, seguindo-se a sua interpretação através do reconto oral.
     Os alunos dos terceiros e quarto anos resolveram um questionário, enquanto os demais colegas de outros anos e turmas realizaram, essencialmente, atividades lúdicas em torno do texto. A todos foi solicitado ainda que recontassem a história lida aos pais e que, no caso dos de mais tenra idade, com a sua colaboração, decorassem as ovelhinhas que lhes foram distribuídas, enquanto aos mais velhos foi pedido que criassem marcadores, também com a cooperação dos seus progenitores, tendo por base a história explorada.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Feliz Natal!


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Biografia de Pedro Seromenho

     Pedro Seromenho Rocha nasceu em 1975, na cidade de Salisbúria (Harare), Zimbabwé. Com apenas 2 anos de idade, fixou-se em Tavira até aos 7 anos e mais tarde em Braga, onde atualmente reside, após concluir o curso de Economia na Universidade do Algarve.
     Durante sete anos trabalhou na Associação Industrial do Minho como consultor, porém, aos 30 anos, porque não se sentia realizado com o que fazia, decidiu dedicar-se em exclusivo à escrita, após a publicação do seu primeiro livro, A Nascente de Tinta, e os convites iniciais para se deslocar a algumas escolas do distrito de Braga.
     Apesar do sucesso enquanto escritor e divulgador da literatura infanto-juvenil, nunca se associou a nenhuma grande editora, ao invés, por criar, recentemente, o seu próprio projeto - Paleta de Letras -, que se dedica a apoiar jovens ilustradores e à aquisição dos direitos  e posterior adaptação de obras estrangeiras. A base de arranque da editora foi, porém, uma reedição das suas próprias obras.
     As sessões que desenvolve nas escolas junto dos alunos são muito diversificadas: o autor dialoga com o público, envolve-o, desenha ao vivo as ideias que pede, criando uma dinâmica muito própria.
     Nos seus tempos livres, o escritor que faz aquilo de que gosta e que tem como obra de vida O Principezinho, pratica desporto, vai ao cinema, ao teatro e, por influência da esposa, professora de música, a espetáculos musicais. Pelo meio ainda encontra tempo para outra das suas paixões: as viagens.

A visita de Pedro Seromenho

     No passado dia 12 de dezembro, deslocou-se à escola secundária o escritor Pedro Seromenho.
     Numa iniciativa da equipa das BE do agrupamento, os alunos do ensino pré-escolar, primeiro e segundo ciclos do ensino básico tiveram oportunidade de contactar com a mestria e múltiplos talentos do escritor.
     Durante todo o dia, segmentado em várias sessões, Pedro Seromenho apresentou a sua obra, prendendo o auditório com os seus dotes de exímio comunicador, contador de histórias e ilustrador.
     No final de cada sessão, os alunos foram convidados a colocar-lhe as questões que entendessem e, de seguida, o autor autografou alguns exemplares das suas obras, adquiridos na feira do livro realizada em simultâneo.
     A equipa da BE agradece a colaboração de todos os docentes que acompanharam os alunos à atividade, bem como à Livraria Jardim, sediada na cidade cidade da Guarda, que encetou os primeiros contactos com o escritor e prestou todo o apoio logístico para a organização da feira, e à Câmara Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo, que efetuou o transporte dos alunos.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Henrique Leitão vence Prémio Pessoa 2014


     Henrique Leitão, físico nascido em Lisboa há 50 anos, é o vencedor da trigésima edição do Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros.
     Doutorado em Física Teórica pela Universidade de Lisboa, instituição onde permanece enquanto investigador, centrou a sua atividade no campo da história e da filosofia da ciência, em particular na evolução das ciências exatas entre os séculos XV e XVII.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Dia Internacional dos Direitos da Criança


           Para comemorar o Dia Internacional dos Direitos da Criança, as professoras responsáveis pela Biblioteca Escolar e o Clube de História, Célia Lopes e Maria Rita Granado respetivamente, levaram a cabo uma sessão na biblioteca escolar da Escola N.º 2, no dia 19 de novembro, pelas 14h30m, na qual participaram 30 alunos e onde  as professoras apresentaram as seguintes atividades:
  Leitura do livro Uma Aventura na Terra dos Direitos;
  Visionamento de um powerpoint;
  Jogo da Glória;
  Jogos Educativos.
         Com esta atividade pretendeu-se dar a conhecer às crianças os seus direitos e que devem poder exercê-los plenamente no respeito pelos seus deveres. O pleno exercício dos direitos é o resultado de um aumento de autonomia e responsabilização, que se realiza por meio de atividades diversificadas.
       Os seus direitos e também os seus deveres foram mostrados através da leitura do livro, do visionamento do powerpoint e também do Jogo da Glória, onde foram colocadas questões sobre o que tinham aprendido anteriormente. Além disso, foi realizado um pequeno debate para troca de ideias, durante o qual os alunos se mostraram muito interessados, tendo decorrido de uma forma ordeira e organizada. Como eram em número considerável, foram na parte final divididos em grupos, tendo uns participado no Jogo da Glória, onde tiveram oportunidade de mostrar os conhecimentos adquiridos anteriormente, assim como a sua leitura através de alguns poemas e jogos de improviso, enquanto os restantes realizaram atividades de pintura e recorte sobre os direitos.
     Os alunos que participaram nesta atividade foram os de 5.º Ano que fazem parte do grupo que frequenta as aulas de Apoio ao Estudo do 2.º Ciclo. 

Exposição temática "A Restauração da Independência de Portugal"


            O Clube de História comemorou mais uma data marcante da História de Portugal, reflexo do sentido da identidade nacional, a Restauração da Independência - 1 de dezembro de 1640.

            As atividades integraram uma exposição temática realizada na Biblioteca Escolar da Escola Básica do 2.º Ciclo, destacando-se a figura de D. Sebastião, na História, na Literatura, na Música e nas Artes Plásticas, e a realização de passatempos variados relacionados com o tema da exposição. A iniciativa foi desenvolvida em articulação com a docente coordenadora da Biblioteca Escolar.

domingo, 30 de novembro de 2014

'Mensagem', de Fernando Pessoa, lançada em Braille

     Hoje, a obra Mensagem cumpre o octogésimo aniversário da sua primeira publicação (30 de novembro de 1934).
     A Casa Fernando Pessoa, que celebra, neste mesmo dia, os 21 anos de existência, promove um conjunto de iniciativas tendentes a assinalar a efeméride.
     Uma delas prende-se com a edição em Braille de Mensagem, a única obra em língua portuguesa que o poeta publicou em vida.

sábado, 29 de novembro de 2014

Edição da obra integral do Padre António Vieira

     «Depois de mais de "15 tentativas falhadas" desde 1581, a obra integral do Padre António Vieira chega finalmente ao público.
     (...)
     Dois anos e cerca de 15 mil páginas depois, reunidas em 30 volumes preparados por uma equipa de mais de 72 especialistas e consultores internacionais, que trabalharam em milhares de documentos, está finalmente concluída a edição da Obra Completa do Padre António Vieira. O lançamento está marcado para a próxima quarta-feira, 3 de dezembro, às 18,30, no salão nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa.»
Ler no Expresso

Cinema


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Mês das Bibliotecas Escolares - Exposição de trabalhos dos alunos


Mural de escrita: Outono


Falecimento de P. D. James

     A escritora P. D. James morreu hoje de manhã aos 94 anos, na sua casa, em Oxford, de acordo com informações da sua agente à BBC.

"Para mim a biblioteca é..."... em fotografia


"Para mim a biblioteca é..." (IV)

“As bibliotecas são do tamanho do infinito e sabem toda a maravilha”
(Valter Hugo Mãe)

Nas bibliotecas podemos obter informações a partir de várias fontes, sendo o livro a principal.
Existem diversos livros com diferentes informações, úteis à nossa vida quotidiana. Há livros de aventuras, romances históricos, histórias de amor, biografias, entre outros; livros que nos fazem rir, chorar e pensar; livros que nos prendem nas suas histórias, que nos deixam curiosos e desejosos por saber o final, fazendo com que quase os devoremos.
Ler é dar um impulso à nossa vida, é através da leitura que podemos obter conhecimentos e contribuir para uma sociedade mais culta e desenvolvida.
As bibliotecas permitem-nos viajar, “são como aeroportos”, transportam-nos para outra dimensão. Com os livros “voamos” para sítios desconhecidos e empolgantes, acompanhados de personagens fantásticas que ficam para sempre no nosso pensamento.

Margarida 11.º B

Dia das Bruxas


     À semelhança de anos anteriores, a equipa das bibliotecas escolares comemorou o célebre Dia das Bruxas, expondo o fundo documental existente nas duas BE referente a esta temática.

     Além disso, o espaço da BE da escola do 2.º ciclo foi ricamente decorado pela docente de Inglês.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O São Martinho na BE



     O São Martinho desceu à biblioteca...
     Para relembrar a data, foram expostos, no espaço da BE do 2.º ciclo, os provérbios recolhidos pela turma B do 6.º ano e alusivos à temática.
     Além disso, os alunos tiveram à sua disposição diversas atividades lúdicas (sopas de letras, palavras cruzadas...) referentes à efeméride, no sentido de ocupar os seus tempos livres de forma simultaneamente lúdica e educativa.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Lançamento de biblioteca científica gratuita e multilíngue




AUnesco anunciou, no passado dia dez de novembro, o lançamento de uma biblioteca científica, de forma gratuita e multilingue, a estudantes de todo o mundo, além da comunidade científica, por ocasião da jornada mundial da ciência ao serviço da paz.
Este instrumento, batizado como Biblioteca Mundial de Ciência (WLoS), conta com a parceria e o patrocínio da revista científica "Nature" e do laboratório farmacêutico "Roche".
Os seus objetivos passam por "dar acesso a estudantes do mundo inteiro, sobretudo nas regiões mais pobres, às informações mais recentes sobre a ciência", bem como possibilitar-lhes "a possibilidade de compartilhar as suas experiências e lições através de debates com outros estudantes num contexto de ensino compartilhado".
A biblioteca conta já com mais de 300 artigos de referência, 25 livros e mais de 70 vídeos, cedidos pela "Nature".
Com este instrumento, a Unesco pretende favorecer a igualdade de oportunidades, melhorar a qualidade do ensino, reforçar a ciência e a educação, promover o uso de conteúdos educativos de livre acesso e fomentar a criação de comunidades de estudantes e docentes.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Reconto escrito de 'A maior flor do mundo'


Ler para Crescer: 'A maior flor do mundo'


     No âmbito do projeto Ler, foi lida a obra A maior flor do mundo, da autoria de José Saramago.
     Previamente à leitura do texto, procedeu-se à apresentação sumária da biografia do escritor. Na sequência, os alunos envolvidos efetuaram o reconto oral do conto e tiveram a oportunidade de assistir à projeção do filme baseado na adaptação do livro, de Juan Etcheverry, após o que foram desafiados a confrontar as mensagens da obra e da película.

     O trabalho em torno do livro prosseguiu com uma série de iniciativas: resolução de um questionário sobre aquele; elaboração de um marcador; reconto escrito da obra na sala de aula; requisição da obra pelos alunos, seguida da sua leitura conjuntamente com os pais e da construção da maior flor do mundo; exposição dos melhores recontos, marcadores e flores confecionadas em casa.


domingo, 16 de novembro de 2014

Obra completa de Herberto Helder


     Poemas Completos reúne, em 759 páginas, a poesia produzida por Herberto Helder entre 1961 e 2014.

O Ensino da Leitura no 1.º Ciclo


Fundação Francisco Manuel dos Santos

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

"A Hora da Partida"

A hora da partida soa quando
Escurecem o jardim e o vento passa,
Estala o chão e as portas batem, quando
A noite cada nó em si deslaça.

A hora da partida soa quando
As árvores parecem inspiradas
Como se tudo nelas germinasse. 

Soa quando no fundo dos espelhos
Me é estranha e longínqua a minha face
E de mim se desprende a minha vida. 

                                         Sophia de Mello Breyner, in Poesia (1944)

Duas novas edições de Sophia

     Sophia de Mello Breyner, uma das maiores escritoras portuguesas, completaria hoje, se fosse viva, 95 anos.

     Para celebrar a data e a vastíssima e riquíssima obra da autora, a Porto Editora apresenta ao público uma nova edição de duas das suas obras: Saga e A Noite de Natal.


"Para mim a biblioteca é..." (III)

“As bibliotecas são como aeroportos”
(Valter Hugo Mãe)

Tal como os aeroportos, as bibliotecas permitem-nos viajar para lugares distantes e viver emoções inesquecíveis. Quando se começa a ler um livro, as bibliotecas transformam-se em aeroportos, ainda que, comparativamente, nos aeroportos as viagens sejam reais e nas bibliotecas sejam ficcionais.
Através das viagens que fazemos nas bibliotecas podemos aprender muito e atualizar as informações que já possuímos. As bibliotecas são como “pistas de descolagem”, onde as tempestades não impedem as chegadas nem as partidas e as bagagens não se perdem, onde não há, portanto, preocupações. As viagens que fazemos através das histórias contadas nos livros são mais “saborosas” do que as viagens reais, pois não há imprevistos, nem atrasos no percurso.
Quando leio um livro de que gosto fico mais descontraído e inspirado para escrever e falar. Penso que todos devíamos ler o mais possível, pois só assim ficaremos mais cultos.
Em conclusão, os livros são um bom recurso quer para cada um de nós, quer para a sociedade em geral, ajudando a resolver questões fundamentais.

Luís Filipe 11.º B

"Para mim a biblioteca é..." (II)

“As bibliotecas são lugares de viagem”
(Valter Hugo Mãe)

As bibliotecas deveriam ser locais de paragem obrigatória para todas as pessoas. Nelas encontramos uma quantidade de informação útil a qualquer pessoa, que pode ou não ser leitora assídua.
Ao investir na leitura, cada indivíduo está a prepara-se para a sociedade em que está inserido. Por exemplo, numa situação de oferta de emprego, uma pessoa que seja instruída e que saiba falar corretamente tem mais hipóteses de conseguir um lugar.
“As bibliotecas são como aeroportos”, são locais de passagem de diferentes pessoas que têm em comum um objetivo - “viajar”. Viajar através da imaginação, lendo um livro, viajar na realidade, apanhando um avião. A grande diferença entre estas viagens é o destino, enquanto o destino do avião está traçado, ao ler um livro, iniciamos uma viagem de aventuras cujo destino é desconhecido.
Em relação à minha geração, penso que se encontra um pouco afastada das bibliotecas, em parte, porque os jovens não gerem bem o seu tempo, perdendo a oportunidade de alargar os seus horizontes culturais.
Concluindo, as bibliotecas são importantes, tal como os livros, que se tornam nossos amigos, ajudando-nos a sobreviver numa sociedade cada vez mais exigente.

Gonçalo 11.º B

Concurso Nacional de Leitura 2015


quarta-feira, 5 de novembro de 2014

A tecnologia ao serviço do autismo

     "A tecnologia faz girar o mundo. É uma frase que poucos terão coragem de contrariar mesmo quando se apontam vícios e risco de segurança na sua utilização. Mas a tecnologia é muito mais que isso e quando aproveitada com qualidade a tecnologia pode mesmo mudar a vida de milhares de crianças em todo o mundo, todos os dias."

     O artigo pode ser lido na íntegra aqui. »»»

terça-feira, 4 de novembro de 2014

"Para mim a biblioteca é..." (I)

“Já vi gente a sair de dentro de um livro”
(Valter Hugo Mãe)

As bibliotecas são como lugares de viagem. As pessoas entram e saem, ficando com os conhecimentos que adquiriram e as histórias que leram.
Os livros contam histórias com as quais, por vezes, nos identificámos. Histórias que nos emocionam e despertam em nós os mais variados sentimentos.
As bibliotecas e os livros têm uma relação muito próxima, comparável à que existe entre os filhos e as mães. Nelas encontramos os livros que nos permitem viver e sonhar como se fôssemos personagens das histórias contadas. Na verdade, todos nós já lemos livros que foram importantes na nossa vida e que nos marcaram.
Na sociedade atual, conhecemos pessoas para quem os livros contam e para outras nem por isso, mas, na realidade, “ler é esperar por melhor”, esperar por mais cultura, mais oportunidades na vida.

Catarina 11.º B


Outubro, mês das bibliotecas escolares


No decorrer do mês de outubro, mês das bibliotecas escolares, nas bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Figueira de Castelo Rodrigo, realizaram-se várias atividades que permitiram descobrir de uma forma mais atrativa estes espaços, as suas diferentes áreas e os seus variadíssimos recursos.
Os alunos dos 3.º e 4.º anos estiveram envolvidos numa atividade de leitura e exploração temática do livro Desculpa-me… Por acaso és uma bruxa, da autoria de Emily Horn e Pawey Pawlak. As turmas do 5.º ano visionaram o filme “The Fantastic Fling”, enquanto os alunos do 7.º realizaram um bibliopaper.
Por outro lado, as turmas dos 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 9.º anos participaram no concurso de cartazes publicitários subordinado ao lema “BE – centro de conhecimento.”, elaborados nas aulas de Oficina de Artes, Educação Tecnológica e Visual.
Também para assinalar a importância das bibliotecas, foi proposto como tema para o mural de escrita “Para mim a biblioteca escolar é…” e os alunos do 11.º B, nas aulas de Literatura Portuguesa, elaboraram textos sobre a mesma temática.

Onda Pina


     Uma iniciativa do Museu Nacional da Imprensa pretende que, no próximo dia 18 de novembro, as escolas / os agrupamentos escolares assinalem o 71.º aniversário do nascimento do jornalista e escritor Manuel António Pina, lendo poemas da sua autoria, ou desenvolvendo outras atividades que tenham por base a vida / obra do autor.
     Essas atividades poderão ser divulgadas posteriormente numa página do Facebook a criar especialmente para o efeito e no sítio do MNI.

A Biblioteca é...


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Dia da Alimentação

No dia 16 de outubro, no nosso Agrupamento, a Equipa Pedagógica da Biblioteca dinamizou diversas atividades para assinalar o “Dia da Alimentação”.
Nas duas bibliotecas do agrupamento, divulgaram-se livros sobre a alimentação, numa exposição atrativa, de forma a cativar o interesse dos leitores, e propuseram-se atividades lúdicas, nomeadamente adivinhas que escondiam o nome de alimentos, para ocupar com qualidade o tempo livre dos alunos.
Na escola do 2.º ciclo, em articulação com as docentes de Português, realizou-se um cordão de cartazes, elaborados pelos alunos, contendo provérbios ilustrados sobre a alimentação. Dando cumprimento ao projeto “Ler para crescer”, foi lida a história do “Patinho que não comia legumes” às turmas do pré-escolar e às do 1.º ciclo da Reigada e da Vermiosa. A leitura da referida história foi complementada com atividades de escrita e de expressão plástica.

Celebrou-se desta forma o “Dia da Alimentação” sensibilizando a comunidade escolar para a importância da alimentação saudável e desenvolvendo diversas competências, específicas e transversais, nos alunos.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

5 de Outubro


          No sentido de evocar “A Queda da Monarquia e Implantação da República” em Portugal, facto histórico que ocorreu no dia 5 de Outubro de 1910, as professoras responsáveis pela Biblioteca Escolar e o Clube de História, Célia Lopes e Maria Rita Granado, levaram a cabo algumas atividades na Biblioteca da Escola n.º 2.
         Foram desenvolvidas diversas iniciativas:
·        Exposição de documentos relativos ao acontecimento.
·        Exposição de livros sobre o mesmo.
·        Fichas de trabalho e jogos educativos para os alunos realizarem durante o período de permanência na Biblioteca Escolar.
         Com estas atividades e como a escola não é apenas um lugar para adquirir conhecimento, mas também um lugar de educação para a vida, pretendeu-se dar a conhecer às crianças o antes e o após o 5 de Outubro de 1910, em que havia um rei a governar e uma monarquia hereditária, ao que sucedeu uma forma de governo com um Presidente da República.
        A melhor conceção de educação é aquela que promove o pleno desenvolvimento da personalidade da criança e do jovem, para o preparar para tomar o seu lugar na sociedade como cidadão livre e responsável, e estas atividades são do maior interesse para a sua formação.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Mural sobre as Bibliotecas


Prémio Nobel da Literatura 2014

Patrick Modiano

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Dia Europeu das Línguas


     No dia 26 de setembro, na Escola Básica do segundo ciclo e na Escola Secundária de Figueira de Castelo Rodrigo, os alunos dos 5.º, 6.º, 7.º anos e do Curso Vocacional comemoraram, com os docentes do Departamento de Línguas e a Equipa das respetivas bibliotecas escolares, o “Dia Europeu das Línguas”.
     Os alunos participaram nos jogos “À volta das línguas” e “Cabra-cega”, atividades que, de uma forma lúdica e atraente, proporcionaram a aquisição de conhecimentos relacionados com as línguas e as culturas portuguesa, francesa e inglesa.
     Foram expostos cartazes com saudações em várias línguas europeias, bem como informações relativas à importância da aprendizagem de línguas estrangeiras, essenciais para garantir a integração dos cidadãos numa sociedade global em que a mobilidade é constante.

terça-feira, 30 de setembro de 2014

'Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas'


     Foi publicada recentemente pela Porto Editora a última obra de José Saramago, o romance Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas, um romance que o escritor deixou inacabado,
     Inicialmente, o livro chamou-se Belona, nome da deusa romana da guerra; depois passou a Belona S.A.; posteriormente, Produtos Belona S.A. e, por fim, recebeu o título com que foi publicado e que foi retirado da tragicomédia Exortação de Guerra, de Gil Vicente.
     A personagem principal do romance é Artur Paz Semedo, um homem que trabalha há quase vinte anos numa fábrica de armamento de Lisboa e que fica alvoroçado com a estreia de um filme de guerra.
     A edição de setembro da revista "Blimunda", que pode ser descarregada gratuitamente em PDF a partir do sítio da Fundação Saramago, contém um dossiê sobre a obra.

Mafalda reeditada em Portugal


     A propósito do cinquentenário da célebre personagem criada pelo argentino Quino, a editora Verbo vai publicar, no final de outubro, Toda a Mafalda.
     A obra reunirá todas as tiras de BD da personagem numa edição cartonada, com uma capa inédita e uma série de artigos e informação que completam a leitura, contextualizando Mafalda e os gags nos acontecimentos históricos que a Argentina e o Mundo vivenciaram entre 1964 e 1973.
     A primeira tira de Mafalda surgiu a 29 de setembro de 1964 no semanário "Primera Plana", em Buenos Aires. O seu fim chegou em junho de 1973, quando Quino, pseudónimo de Joaquín Lavado, decidiu pôr fim às publicações. Posteriormente a essa data, raramente voltou a publicar tiras da personagem, fazendo-o sobretudo para promover campanhas pelos Direitos Humanos.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Mais recente obra de António Fonseca


     Lado a Lado é a mais recente obra de António Fonseca, escritor nascido há 34 anos na freguesia de Vilar Torpim.

     «Luís e Cátia estudavam na mesma escola. Os dois conheciam-se de vista, mas nunca se tinham falado. Ela era uma rapariga bonita e popular, cujo único desejo era encontrar alguém que a avaliasse pela beleza do seu interior, e não pela sua aparência.
     Ele era um rapaz pouco atraente, que o destino quis que fosse deficiente motor. Apesar da sua condição física debilitada, era totalmente independente em todas as suas ações. No fundo, as verdadeiras limitações do rapaz eram as que o preconceito e a sociedade lhe impunham diariamente. O seu único sonho era encontrar alguém que valorizasse as suas qualidades e o aceitasse com os seus defeitos.»

terça-feira, 23 de setembro de 2014

3 000 livros de Doris Lessing para o Zimbabwe


     Os herdeiros de Doris Lessing, Prémio Nobel da Literatura falecida no ano passado, vão doar três mil livros da coleção da escritora à biblioteca de Harare, no Zimbabwe, onde cresceu.

Chaves para ensinar a escrever


     A produção escrita dos alunos, enquanto atividade de comunicação, de relacionamento com o «eu» e os outros, de apreensão e transformação da realidade, de expressão do "eu"..., representa um desafio quotidiano para professores e alunos.
     O Professor Joaquim Dolz, precursor do trabalho com géneros textuais, publicou um trabalho intitulado Claves para enseñar a escribir, o qual pode ser consultado clicando na imagem acima.

Estado da Educação 2013

«Estado de Educação 2013 surge na continuidade dos relatórios anuais sobre esta matéria que o Conselho Nacional de Educação publica desde 2010.

Estado da Educação 2013 apresenta alguns indicadores de referência do sistema educativo que permitem caracterizar a população escolar, o corpo docente, a rede e a organização escolar, o financiamento público da educação, a avaliação e os resultados escolares, dos diferentes níveis e modalidades de ensino. O presente relatório integra igualmente quatro trabalhos académicos que abordam temas como o abandono, a retenção e os resultados escolares.
À semelhança das edições anteriores, o Estado da Educação 2013 mantém-se como uma publicação de referência para todos os que se interessam pela área da educação.»




Bibliotecas digitais

O «novo» bibliotecário

Fonte: RFIDBrasil

terça-feira, 15 de julho de 2014

Candidaturas ao ensino superior


     O Ministério da Educação e Ciência lançou um portal para ajudar os alunos a escolher um curso superior. 

     Para o consultares, clica aqui! 

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Nadine Gordimer (1923 - 2014)


     A escritora sul-africana Nadine Gordimer faleceu ontem, 13 de julho, aos 90 anos, durante o sono, na sua residência de Joanesburgo.
     Nadine nasceu a 20 de novembro de 1923, em Springs, uma cidade mineira dos arredores de Joanesburgo, filha de progenitores imigrantes judeus oriundos da Europa de Leste: o pai, um fabricante de relógios letão, a mãe, uma inglesa de origem judaica.
     Autora de dezenas de romances e volumes de contos, muitos deles retratando a África do Sul durante o regime segregacionista que vigorou até 1994 e abordando questões éticas e morais como o racismo, foi galardoada com o Nobel da Literatura em 1991.
     De facto, mesmo sendo obrigada a viver sob o regime do apartheid, recusou sempre abandonar o seu país natal, tendo optado, em alternativa, por o combater. Testemunhou, por exemplo, em 1986, num processo que contribuiu para salvar a vida de 22 membros do ANC (Congresso Nacional Africano), acusados de traição.
     Dentre a sua vasta obra, destacam-se os títulos Face to Face (o seu primeiro livro, um volume de contos de 1949), A Guest of Honour (1970), O Conservador (1974), A Gente de July (1981) e O Engate (2005).
     

quarta-feira, 11 de junho de 2014

O soldado e o capitão os cravos e o povão

terça-feira, 10 de junho de 2014

"As Gémeas da Lua"


     Enquadrada no âmbito da presença, no agrupamento, da escritora Manuela Fonseca, a equipa da BE, em colaboração com os professores das turmas dos quarto, quinto e sexto anos, leu com os alunos a obra As Gémeas da Lua.
     Posteriormente, escreveram mensagens dirigidas às personagens centrais do livro, aliando-se, desta forma, a leitura à escrita e à reflexão.